Para usar com as crianças

Atividade para bebês: Trocando de roupa em frente ao espelho

Um momento de cuidado trivial em casa pode se transformar em ótima ocasião para que a criança tome consciência do próprio corpo

Por Maria Lígia Pagenotto

 Ilustração de mãe acompanhando atividade de filho pequeno em frente ao espelho. Atividade relacionada a troca de roupas.
Ilustração: Julia Coppa/NOVA ESCOLA

Vestir o bebê depois do banho ou antes de dormir pode parecer um momento trivial, mas é mais rico do que você e a família imaginam. Segundo Mônica Rogéria Maciel, supervisora de creches da rede pública de Campina Grande (PB), essa atividade ganha outro sentido quando o adulto realiza certas interações com a criança e adiciona um objeto também trivial: o espelho. “A criança aprende a gostar da própria imagem. Olhando-se no espelho, ela percebe a sua cor de pele, como é seu sorriso, como gosta de se vestir”, diz Mônica. “E quando há outras crianças por perto, como na escola, a criança percebe as diferenças que existem entre ela e os outros amigos, que se vestem de outra forma, fazem outras escolhas.”

Por isso, NOVA ESCOLA traz, nesta Caixa, uma sugestão adaptada a partir de um plano de atividade criado por Djenane Martins Oliveira. Ela propõe que professor e família estabeleçam alguns combinados para o momento da troca de roupas em casa (mas se na sua cidade as creches já reabriram você pode repetir os mesmos procedimentos na escola).

Mônica alerta que, se a proposta for feita pela família, a conversa prévia com os adultos precisa deixar claro que esse momento é de muitas descobertas para os pequenos. “Em casa, o risco é de que a troca seja feita às pressas, sem o cuidado que merece. É preciso tocar a criança e conversar com ela a cada etapa da atividade”, ensina Mônica. Por exemplo: se a fralda estiver suja, o adulto deve dizer ao bebê que vai trocar a peça para que ele se sinta mais confortável.

Vamos à sugestão?

divisória atividade educação infantil

TROCANDO DE ROUPA EM FRENTE AO ESPELHO

Como os bebês podem tomar consciência do próprio corpo no momento de vestir


Indicado para: Bebês (zero a 1 ano e 6 meses)

Materiais:
- Roupas, fralda e calçados da criança em cima da cama ou em um colchonete no chão. É interessante que tenha mais de uma opção, para que a criança possa fazer a escolha do que vestir (no caso dos mais velhos).

- Espelho onde a criança possa se ver por inteira, se possível. Caso contrário, orientar os pais a adaptarem a atividade para o espelho que tiverem disponível.

Espaço: A atividade pode ser feita sobre uma cama ou um colchonete sobre a cômoda do quarto ou o chão.

Na BNCC:
Campo de experiência: Corpo, gestos e movimentos
EI01CG02 - Experimentar as possibilidades corporais nas brincadeiras e interações em ambientes acolhedores e desafiantes.

Campo de experiência: O eu, o outro o nós
EI01EO02 - Perceber as possibilidades e os limites de seu corpo nas brincadeiras e interações das quais participa.

Campo de experiência: Escuta, fala, pensamento e imaginação
EI01EF06 - Comunicar-se com outras pessoas usando movimentos, gestos, balbucios, fala e outras formas de expressão.


PASSO A PASSO

1. Prepare a atividade: Em momento oportuno, que pode ser uma conversa por videochamada ou WhatsApp, explique aos pais ou responsáveis sobre a importância da proposta (um bom começo são os argumentos que você leu na abertura deste texto). Ao final, peça a eles que enviem por WhatsApp fotos das peças de roupa preferidas do filho. Na escola, crie um mural com as fotos das roupas de todas as crianças e converse com a família, mesmo que remotamente, sobre a atividade, o que sentiram, que dificuldades tiveram. Caso haja possibilidade, compartilhe as imagens com o grupo e convide os pais a conversarem com os filhos sobre as fotos.

2. Instrua a família: Diga que a atividade deve ocorrer num momento real de troca de roupa: pela manhã, depois do banho, ou antes de dormir, por exemplo. Peça que os pais preparem a cama ou colchonete onde será feita a troca, colocando o espelho para que a criança veja o próprio reflexo. Peça que o adulto incentive a criança a tocar os materiais e a explorar seus detalhes, como zíper e botão.

PONTO DE ATENÇÃO: Se for impossível para a família fazer a atividade diante do espelho, o adulto poderá, ele mesmo, “ser o espelho” ao nomear as ações, imitar gestos e movimentos ao brincar com o bebê etc. 

3. Incentive a interação: Sugira também que os pais ou responsáveis nomeiem os dedos e o pé, por exemplo, quando a criança mexer no sapato. Fazer o mesmo para outras partes do corpo e para as peças de roupa.

4. As crianças também podem agir: Outra indicação é que a pessoa que está fazendo a troca deve incentivar a criança a dar nome às partes do seu próprio corpo e às roupas. A criança também pode tentar nomear as partes do corpo e as roupas do adulto. No caso dos maiores, dá para estimular a criança a vestir uma peça ou outra sozinha.

5. Abra possibilidades: Os pais podem, ainda, fazer outras coisas, como deixar que a criança experimente uma roupa ou um sapato do adulto. O momento é também de experimentação sensorial e de construção da percepção de tamanho corporal para os pequenos.

6. Promova o registro: Ao longo do processo, diga para os adultos anotarem as reações das crianças ou registrá-las em vídeos ou fotos, para que você e a família possam conversar sobre a atividade em um momento posterior.

divisória atividade fechamento

Ideias para inspirar, conteúdo para ensinar

Esse conteúdo é feito para você recarregar as suas ideias!

Educador, assine o Nova Escola Box e tenha acesso a conteúdos exclusivos orientados para a aprendizagem a distância.

Apenas R$15,90 por mês

Já é assinante Nova Escola Box? Faça login aqui!