EDUCAÇÃO INFANTIL

De flores a papel crepom, professora Mirtes Melo mostra a força de materiais do cotidiano

Com o projeto “Aprendizagens das crianças: maravilhamento e experiências”, ela traz também elementos da cultura local dos pequenos

Por Maria Lígia Pagenotto

A professora Mirtes Melo sob fitas de papel crepom. Foto: Nidiacris Ribeiro/Trupe Filmes

Bacias com água, papel crepom, caixas de papelão, flores e frutos do jambeiro, pés de feijão, lençóis, sacolés. Todo material que estiver ao alcance das crianças pode ser uma experiência de aprendizagem. Foi com esse espírito que Mirtes Ramos dos Santos Melo, professora da Creche Municipal João Eugênio, no Recife (PE), construiu um projeto em que materiais não estruturados e elementos da natureza proporcionam inúmeras brincadeiras e atividades com as crianças da Educação Infantil. 

Com o projeto “Aprendizagens das crianças: maravilhamento e experiências”, Mirtes tornou-se uma das vencedoras do Prêmio Educador Nota 10 de 2020. Neste ano, ela procurou utilizar com suas turmas, ainda que a distância, o mesmo método de aprendizagem adotado em 2019 que a levou à premiação.

“A primeira coisa que pensei quando ficamos longe da escola foi: não quero as crianças diante da tela, muito menos sem a possibilidade de contato físico. Mas essa é a nossa realidade agora”, pontua. Mirtes teve então de repensar modos de trabalhar dentro do que acredita ser a forma como as crianças mais aprendem: interagindo, brincando e, de preferência, com objetos da natureza e do seu cotidiano.

Para atingir o objetivo, no entanto, precisou mobilizar as famílias. “Já era próxima dos pais, pelo WhatsApp, mas tive de intensificar esse contato”. Mirtes tem proposto atividades para as crianças fazerem utilizando materiais que têm em casa. Os pais gravam os resultados e mandam para a professora. Sua sala atual tem 16 alunos. 

“No começo, sugeri algumas experimentações e brincadeiras com tampas coloridas de embalagens. Até que um dia compartilhei a foto de um canteiro do meu quintal. As crianças e suas famílias empolgaram-se e começaram a mostrar também seus pequenos cultivos”, explica. Então, Mirtes fez dessa iniciativa um novo aprendizado e uma forma de fortalecer o vínculo com os pequenos. 

“Alguns que não cultivavam nada sentiram-se animados a começar um plantio.” Um aluno mostrou a ela uma planta de feijão e disse que ficou surpreso em saber que era assim que o grão nascia. Até então só havia visto o alimento no prato. 

“A exemplo do trabalho que apresentei, eles estão utilizando elementos da natureza. Na próxima semana vou misturar a planta cultivada com outros materiais, como panela e colher de pau”, adianta. O princípio da experimentação se mantém, mesmo de longe. “Quero que eles reconstruam novos ambientes, façam suas experiências e compartilhem comigo e com os outros.”

Embora muitos tenham se envolvido bastante com as atividades no início, apenas cinco ou seis alunos mantêm a frequência. “Alguns pais têm muita dificuldade em participar, e isso é compreensível. Mas estimulo ao máximo para que mantenham algum tipo de contato comigo e com os colegas, porque isso é o mais importante para o desenvolvimento das crianças.”

Este conteúdo está aberto para todos os educadores como um presente da Nova Escola. Outras caixas do Nova Escola Box são exclusivas para assinantes. Caso queira ler mais e ainda não tenha uma assinatura, clique no botão abaixo e conheça nossas ofertas :) 

Quero assinar!

“Brasilidade presente no projeto é comovente”

Para a selecionadora Maria Paula Vignola Zurawski, docente na Faculdade de Pedagogia Vera Cruz, Mirtes Ramos é professora nota 10 porque demonstra um respeito muito grande às formas de expressão das crianças. “Ela escuta as necessidades e os desejos das crianças e as torna participantes de seu processo de aprendizagem.”

O fato de oferecer aos pequenos materiais do seu cotidiano comoveu Maria Paula. “Ela tem um jeito muito poético e brasileiro de ser referir às crianças, pois utiliza recursos muito presentes na cultura do país e, mais, de sua localidade”, ressalta. 

A pedagoga enfatiza também sua disposição para a pesquisa e o estudo, com resultados surpreendentes. Fazendo da natureza sua aliada, Mirtes transformou algumas brincadeiras com plantas em uma aula de ciência, diz Maria Paula.  

Conheça, abaixo, alguns detalhes do projeto para inspirá-lo em suas atividades com as crianças. 



Projeto: Aprendizagem das crianças - maravilhamento e experiências

Mirtes Ramos mostra como estimular vivências e aprendizados com materiais do cotidiano 


Escola: Creche Municipal João Eugênio

Cidade: Recife (PE)

Componente Curricular: Não há (Educação Infantil)

Indicado para: Crianças bem pequenas (1 ano e 7 meses a 3 anos e 11 meses)

Na BNCC: Direitos de aprendizagem e desenvolvimento da Educação Infantil
Materiais sugeridos: Papel higiênico, papel crepom, caixas de papelão, bandejas de guardar ovos; panelas, tampas, frigideiras, bule de alumínio, colheres de pau; flores de jambeiro (ou de outra árvore local), folhas, frutas; bacias, baldes, prendedores de roupa, lençóis, água.

PASSO A PASSO

1. Considere os interesses das crianças. Inicialmente, é importante observar quais são as preferências dos pequenos: se querem brincar com as caixas em vez de brinquedos, invista nesse material. Permita que as crianças proponham as brincadeiras a partir dos materiais que elas selecionarem como brinquedo. Estimule o uso de materiais não estruturados, pois permitem muitas possibilidades de experimentação e aprendizagem.

2. Introduza novos materiais. Uma vez por semana, sugira novos materiais aos pequenos. Deixe-os acessíveis na sala para o manuseio das crianças. Mirtes, por exemplo, pendurou rolos de papel higiênico, fez uma cortina de papel crepom colorida, disponibilizou caixas de papelão no chão. A partir desses materiais, construiu com os alunos uma mandala.

3. Valorize a natureza e o cotidiano dos pequenos. Permita que as crianças brinquem com utensílios de seu cotidiano e da natureza. Estimule observações sobre o meio ambiente e invista sempre em materiais regionais, que tenham significado para as crianças (pedras e conchas, por exemplo, entre outros).

4. Traga as famílias para a brincadeira. Mantenha contato próximo com as famílias, para que compreendam a proposta e estimulem experimentações em casa também.  

ADAPTAÇÃO PARA O CONTEXTO REMOTO

Atividades com materiais do cotidiano das crianças também são interessantes para serem realizadas ao longo do isolamento social. Caso seja difícil incorporar elementos da natureza nas brincadeiras, é interessante focar naqueles objetos e materiais que têm despertado a curiosidade das crianças em casa. 

Este conteúdo está aberto para todos os educadores como um presente de NOVA ESCOLA. Outras caixas de Nova Escola Box são exclusivas para assinantes. Caso queira ler mais e ainda não tenha uma assinatura, clique no botão abaixo e conheça nossas ofertas :)

Quero assinar!

Ideias para inspirar, conteúdo para ensinar

Esse conteúdo é feito para você recarregar as suas ideias!

Educador, assine o Nova Escola Box e tenha acesso a conteúdos exclusivos orientados para a aprendizagem a distância.

Apenas R$15,90 por mês

Já é assinante Nova Escola Box? Faça login aqui!