Para pensar sobre a prática

6 dicas para preparar os alunos para estudar com autonomia

Entenda como envolver os estudantes nas atividades propostas para o trabalho em casa

Ilustração: Rafa Nunes/NOVA ESCOLA

Quanto mais jovens são os alunos, maiores são as dificuldades para fazer com que a aprendizagem remota dê certo. "Estudantes do Fundamental I costumam ter menor autonomia para se organizar e realizar as atividades", explica Ana Lucia Souto, criadora de conteúdos da Khan Academy no Brasil. Por isso, é importante que o educador tome certas precauções na hora de planejar o uso do modelo de sala de aula invertida – ou até ao usar outras metodologias para este momento em que as aulas presenciais estão suspensas. Leia, abaixo, seis sugestões para que seu planejamento seja bem-sucedido.

1. Reserve tempo para fortalecer vínculos e apresentar os recursos
"Precisamos considerar que este é um momento de aprendizagens para todos", defende Helena Mendonça, coordenadora de tecnologias educacionais na Escola da Vila, em São Paulo. Por isso, leve em conta que as primeiras interações a distância servirão para reforçar vínculos e apresentar as plataformas. Pergunte como os alunos estão organizando seus dias, o que têm feito, diga que está com saudades e convide-os a opinar sobre os recursos a serem usados (videoconferência ou WhatsApp, por exemplo).

2. Reorganize o currículo
Nem todos os conteúdos poderão ser simplesmente levados do planejamento presencial para o modelo remoto. Por isso, observe nas suas habilidades quais podem ser priorizadas neste momento. "Vimos que conseguimos começar mais rápido com atividades de leitura literária, em Língua Portuguesa, e sobre o sistema de numeração, em Matemática", exemplifica Miruna Kayano, coordenadora de anos iniciais do Ensino Fundamental na Escola da Vila. A ideia é priorizar esses tópicos agora e, com mais calma, pensar em como elaborar atividades sobre os demais temas que sejam engajantes e possam ser realizadas com autonomia pelos estudantes.

3. Pense em propostas desafiadoras
Faça o possível para despertar o interesse das crianças pelo estudo. "É preciso que eles tenham vontade de consumir os conteúdos indicados pelo professor", destaca Ana Lucia. Dê início à sequência didática, propondo uma questão disparadora ou expondo uma situação-problema que os instigue a buscar mais informações sobre o tema. Nas atividades, evite tarefas que levem os estudantes a localizar e reescrever informações presentes nos materiais de estudo. Foque no desenvolvimento de operações, como analisar, relacionar, comparar, classificar, e assim por diante.

4. Pense em conteúdos engajantes
Ao selecionar materiais de estudo, procure por aqueles que despertarão maior engajamento. Videoaulas e vídeos explicativos podem ser usados, mas com moderação – e sempre com duração curta. Conteúdos mais interessantes incluem documentários, reportagens, textos literários, músicas, infográficos, recursos interativos, e assim por diante. "É preciso que os estudantes tenham prazer em aprender", afirma Renata Capovilla, formadora de professores em tecnologia e sócia da Íntegra Educacional.

5. Dê preferência a recursos adequados à faixa etária
Procure por soluções tecnológicas que os estudantes possam utilizar sem a supervisão permanente das famílias. Lembre-se de que muitos pais não estão tão familiarizados com as tecnologias ou seguem trabalhando e não conseguem guiar os estudantes em todas as tarefas. Proponha atividades que eles possam elaborar usando o próprio caderno (em vez de imprimir ou ter de utilizar on-line) e apresente comandas em áudio ou vídeo (especialmente para alunos que ainda não leem convencionalmente).

6. Conte com o apoio das famílias
Esteja em contato constante com os pais. Peça retornos sobre o tempo que as atividades estão tomando e a viabilidade de realizá-las. "Na escola, sabemos bem como gerenciar o tempo, mas em casa é muito diferente", diz Miruna. Dê instruções bem claras sobre como eles podem apoiar (determinando um horário fixo de estudo, por exemplo) e entenda as possibilidades das famílias – em casas com mais crianças ou com pais ainda trabalhando pode haver maior dificuldade no acompanhamento.



Diante da pandemia do coronavírus, esse conteúdo está aberto para todos os nossos leitores. Outros temas do Nova Escola Box são exclusivos para assinantes, caso queira ler mais e ainda não tenha uma assinatura, clique no botão abaixo e conheça nossos planos :)

Quero Assinar!

Mais sobre esse tema

Caixa abrindo

Ideias para se inspirar,
conteúdo para ensinar

  • Expriıências reais de sala de aula;
  • Conteúdos alinhados à BNCC;
  • Metodologias ativas;
  • Textos, vídeos, materiais pedagógicos e moldes;
  • Ideias e relatos de professores como você!
assine por R$19,90