Para crianças bem pequenas

Construindo um jogo de percurso

Na proposta da professora Adriana, as crianças escolhem a lista de materiais e montam um tabuleiro gigante no pátio da escola

A brincadeira envolve criar um jogo de tabuleiro gigante. Ilustração: Pedro Hamdan/Nova Escola

Conhecer a si e ao outro, desenvolver habilidades socioemocionais, aprender a lidar com o diferente e com o trabalho coletivo. São muitas as aprendizagens que os jogos podem proporcionar para as crianças em suas primeiras experiências de socialização. 

Que tal colocar desafios extras para os pequenos jogadores? Na proposta da professora Adriana Mitiko, do Time de Autores de NOVA ESCOLA, a turma é convidada a construir um jogo de tabuleiro gigante, no qual elas mesmas serão os “peões”. Confira como conduzir a atividade. 

Faixa etária: crianças bem pequenas (1 ano e 7 meses a 3 anos e 11 meses)

Lista de materiais: Para reunir os materiais, defina como vocês vão fazer a base das casas nas quais as crianças vão pisar. Aproveite o que tiver disponível na escola. Para se inspirar, você pode utilizar alguns modelos para percursos, disponíveis aqui. São várias as opções para o tabuleiro: gravetos, cordas, fitas adesivas, papelão, caixas, bambolês, cartolinas, papel kraft, canetinhas hidrocor, tintas, brinquedos e sucatas. A seleção de materiais deve estar de acordo com a decisão das crianças (com seu apoio) sobre como querem construir o tabuleiro. Faça um dado grande, imprimindo da internet algum modelo de recorte e colagem dele, ou da forma como preferir.

Espaço: A proposta deve ser realizada em espaço amplo, como pátio ou quadra, que permita a construção do tabuleiro gigante. 

Preparação: Você pode elaborar com as crianças uma lista de materiais a serem utilizados nessa construção e enviá-la para as famílias, solicitando a colaboração de todos para reuni-los. Combinem um ou mais dias para a entrega desses materiais. 

Roda de conversa: Explique para as crianças que elas construirão um tabuleiro gigante e que, em seguida, jogarão dentro dele. Por isso, elas próprias serão os peões do jogo. Retome o conhecimento prévio delas sobre jogos do tipo. Conte que vocês precisarão escolher um tema para o tabuleiro gigante de percurso e um nome para ele. Valorize as ideias apresentadas. Podem surgir opções como pistas de corridas, caminhos nas florestas e caverna assombrada, entre outras. 

Mãos na massa: Disponibilize os materiais e incentive que as crianças escolham como ajudar na criação do tabuleiro. Mostre os modelos para percursos impressos e converse sobre cada um. Considere adaptar ou inventar outros percursos, de acordo com as ideias que surgirem. Se necessário, faça um esboço de outro desenho de percurso que for consenso na turma. Utilizem giz, cordas ou fitas para marcar o caminho que o tabuleiro deverá fazer. Definam as casas do percurso. A brincadeira vai ficar mais divertida se algumas tiverem regras específicas como bônus (como andar mais para a frente) para quem cair nelas, penalidades (voltar algumas casas ou ficar uma rodada sem jogar) e escolha (trocar de lugar com outra criança). Marquem essas casas com desenhos, pinturas, sucatas ou brinquedos que as diferencie das demais. Escreva nas casas os números correspondentes delas na sequência, solicitando que as crianças te auxiliem novamente com a contagem. Parabenize o grupo pelo trabalho coletivo concluído.

Hora de jogar: Combine que uma criança por vez vai jogar o dado e pular, andar, ou se arrastar entre as casas, de acordo com o número que tirar. Se não houver espaço no tabuleiro para todas as crianças, entrem em um acordo sobre as que vão jogar primeiro. As demais podem assistir e ser encorajadas a torcer, dar dicas e relembrar as regras. 

Inclusão: Identifique barreiras físicas, comunicacionais ou relacionais que podem impedir uma criança de participar e aprender. Proponha apoios para atender às necessidades e diferenças de cada uma delas. Levante hipóteses sobre como as crianças vão se deslocar entre as casas: pulando, arrastando-se, engatinhando, com a ajuda de um adulto etc. Depois, adapte os materiais para serem desafiadores e acessíveis a todas, com caixas cortadas, papéis de diferentes cores e texturas, pinturas em relevo etc. Auxilie quem necessitar de apoio.  

Observações: Preste atenção em como as crianças se deslocam ao construir e percorrer o percurso do tabuleiro. Como elas se orientam no espaço? Como planejam suas ações? Ao se deslocar entre as casas, organizar os materiais e acompanhar as jogadas, quais gestos e falas indicam que elas tentam fazer uso de contagem? 

O plano de aula completo, com orientações sobre o jogo de percurso, preparado pela professora Adriana Mitiko, está disponível aqui.



Mais sobre esse tema

Caixa abrindo

Ideias para se inspirar,
conteúdo para ensinar

  • Expriıências reais de sala de aula;
  • Conteúdos alinhados à BNCC;
  • Metodologias ativas;
  • Textos, vídeos, materiais pedagógicos e moldes;
  • Ideias e relatos de professores como você!
assine por R$19,90