Para usar com os seus alunos

Língua Portuguesa: como avaliar as turmas do 3º ao 5º ano

Entenda estratégias de avaliação para observar a aprendizagem das crianças e confira um exemplo prático sugerido por Mazé Nóbrega

Ao preparar a avaliação, identifique se há habilidades previstas para os anos anteriores que não foram dominadas. Ilustração: Nathalia Takeyama/Nova Escola

Quais são os cuidados na hora de avaliar o que as turmas do 3º ao 5º ano do Ensino Fundamental estão conseguindo aprender ao longo deste ano tão complicado?  

Ao preparar as estratégias de avaliação para as crianças dessa faixa etária, o professor deve identificar se há alguma habilidade prevista para anos anteriores que os alunos não conseguiram dominar. Afinal, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) prevê que os estudantes dominem o sistema de escrita até o 2º ano. Mas, caso isso não tenha acontecido com alguma criança, atividades de reforço serão necessárias. É o que afirma Mazé Nóbrega, professora de pós-graduação no Instituto Vera Cruz e consultora de Língua Portuguesa para a construção dos conteúdos desta Caixa. 

De todo modo, a sugestão é que o professor planeje a avaliação juntamente com a definição das habilidades que espera alcançar, antes mesmo do planejamento das atividades. “Esse cuidado permite que não se perca de vista o que se quer que os estudantes aprendam”, assegura a especialista. 

A educadora garante que essa estratégia permite antecipar quais indícios de compreensão se pode recolher das atividades desenvolvidas, orientando eventuais alterações de rota durante o percurso, e organizando o registro de dados para uma avaliação processual consistente. Essa estratégia se aplica a todas as situações, conclui Mazé Nóbrega. 

Língua Portuguesa: dicas para avaliar do 3º ao 5º ano

1. A BNCC prevê que as crianças dominem o sistema de escrita até o 2º ano. No entanto, é possível que isso não tenha acontecido. Nesse caso, trace atividades de reforço. 
2. Faça o planejamento reverso: pense nas estratégias de avaliação ao definir as habilidades que espera atingir, antes mesmo de traçar as atividades. 
3. Isso mantém o foco no que se deseja que os alunos aprendam, organiza os registros  para a avaliação processual e ajuda a mudar de rota, caso necessário. 

Quer entender melhor como essas dicas podem funcionar na prática? NOVA ESCOLA pediu para Mazé propor uma estratégia de avaliação para a Sugestão de Atividade: Valorizando o diário pessoal em tempos de isolamento, publicada na Caixa de Língua Portuguesa desta Série Especial. A ideia é de que o passo a passo a seguir seja um exemplo para você construir a sua própria estratégia, já que, em avaliação - e em Educação, de forma geral - é preciso considerar a realidade da sua turma.

EXEMPLO DE AVALIAÇÃO - LÍNGUA PORTUGUESA 

Indicado para: Turmas do 3º ao 5º ano

Atividade avaliada: Sugestão de Atividade: Valorizando o diário pessoal em tempos de isolamento


PASSO A PASSO 

1. Observe o grau de envolvimento dos alunos: Os primeiros passos da atividade têm caráter motivacional. Ou seja, procura fazer com que os estudantes estejam atentos aos seus sentimentos no cotidiano expressando-os por meio de diferentes linguagens. Como o diário é um relato de sua própria existência e, assim, o autor escreve sobre seus conflitos, sonhos e sentimentos, as atividades propostas podem ajudar o professor a recolher indícios do possível grau de envolvimento dos estudantes com a tarefa.

2. Levante os conhecimentos dos alunos sobre o gênero: Ao relatar às crianças as experiências de Anne Frank, a autora, possivelmente, do mais conhecido diário do mundo, a professora explicita a função social desse gênero e cria expectativas em relação aos textos que as crianças vão ler. Se a atividade for desenvolvida em uma aula síncrona ou presencial, ela pode recolher pistas a respeito do envolvimento das crianças.

3. Veja o que foi observado por cada um: As anotações que os alunos fizeram em seus cadernos podem ser um bom instrumento para obter indicadores do que foi observável para cada um. Nas aulas remotas, os estudantes podem enviar fotos de suas anotações pelo WhatsApp, por exemplo.

4. A análise das anotações tem caráter diagnóstico: As informações vão ajuda você a fazer intervenções mais produtivas de maneira a produzir uma avanço conceitual.

5. Ative outras habilidades: A proposta de escrever em um diário estabelece uma conexão com outras etapas da sequência de atividades que vão ativar habilidades do eixo de produção de texto que estão fora do escopo das habilidades de leitura envolvidas nessas aulas, cujo propósito é compreender a função social de textos e criar expectativas em relação ao texto que vai ler.

Mais sobre esse tema

Caixa abrindo

Ideias para se inspirar,
conteúdo para ensinar

  • Expriıências reais de sala de aula;
  • Conteúdos alinhados à BNCC;
  • Metodologias ativas;
  • Textos, vídeos, materiais pedagógicos e moldes;
  • Ideias e relatos de professores como você!
assine por R$19,90