Para usar com seus alunos

Matemática: dicas para avaliar as turmas do 4º ao 5º ano

Saiba caminhos para analisar a aprendizagem dos alunos e confira um exemplo prático sugerido por Luciana Tenuta

Convide os alunos a compartilharem o que aprenderam em casa. Ilustração: Nathalia Takeyama/Nova Escola

Antes de começar a avaliar o que as turmas do 4º e do 5º ano conseguiram aprender em Matemática durante o ensino remoto e o período de afastamento das salas de aula, ouça os alunos. A escuta atenta deve ser o ponto de partida para uma avaliação quando as aulas presenciais voltarem a ser uma realidade no país, segundo Luciana Tenuta, mestre em Ensino de Matemática pela Pontifícia Universidade Católica de Minas (PUC-MG), especialista do Time de Autores de NOVA ESCOLA e consultora convidada para orientar esta Caixa. 

“A ideia de rodas de conversa está sempre norteando o nosso trabalho de avaliação porque nos permite ouvir os alunos. Quando eles conversam e discutem sobre questões que colocamos, isso nos dá a oportunidade de avaliá-los e saber o que estão sabendo”, comenta a especialista.  

Na hora de fazer uma avaliação sobre estratégias de cálculo para multiplicação, por exemplo, uma boa dica é convidar os alunos a compartilharem o que descobriram no período em casa ao observar como os adultos de seu convívio faziam contas. Nesse momento, incentive os estudantes a contarem para o restante da turma o que entenderam, pois essa é uma forma da avaliação ser, também, um momento de aprendizagem. 

Luciana reforça que aquele que está explicando precisa estruturar o pensamento para se expressar, de modo que, ao mesmo tempo, consolida o aprendizado sobre o que está falando. Para quem escuta, por sua vez, é uma oportunidade de conhecer diferentes estratégias para incorporar ao seu repertório. “Esse é um momento rico de compartilhamento de diferentes estratégias entre os alunos”, observa.  

De acordo com a especialista, com isso, o professor terá a oportunidade de colher diversas informações importantes para traçar um panorama de como os alunos estão em relação às diversas estratégias de cálculo. “Precisamos nos perguntar: estou avaliando para quê? A resposta é uma só: para propor ações e não deixar ninguém para trás”, ressalta Luciana Tenuta. 

Matemática: dicas para avaliar no 4º e no 5º ano

1. O ponto de partida para a avaliação é a escuta dos alunos. Para isso, você pode organizar rodas de conversa. 
2. Resgate o que as crianças conseguiram aprender durante o período de aulas remotas e quarentena em casa. 
3. Faça da avaliação um momento de aprendizagem. Quando um aluno conta o que aprendeu para os demais, consolida o que compreendeu. Ao saber como o colega atuou, os outros ampliam o repertório de diferentes estratégias possíveis para resolver um mesmo problema. 
4. Mapear como os alunos estão desenvolvendo suas estratégias de cálculo ajuda a montar um panorama da turma e a não deixar ninguém para trás. 

Quer saber como levar essas orientações para a prática? NOVA ESCOLA pediu para Luciana propor uma estratégia de avaliação para a atividade Sugestão de Atividade: Estratégias de cálculo para multiplicação, publicada na Caixa de Matemática desta Série Especial. A ideia é de que o passo a passo a seguir seja um exemplo para você construir sua própria estratégia, já que, em avaliação - e em Educação, de forma geral - é preciso considerar a realidade da sua turma.

EXEMPLO DE AVALIAÇÃO EM MATEMÁTICA

Observando as estratégias de multiplicação usadas pelas crianças


Indicado para: Turmas de 4º e 5º ano

Atividade avaliada: Sugestão de Atividade: Estratégias de cálculo para multiplicação, publicada nesta Série Especial


PASSO A PASSO

1. Pergunte aos alunos sobre as estratégias que descobriram: Comece a avaliação perguntando aos alunos o que eles descobriram sobre as estratégias de cálculo para multiplicação utilizadas pelas pessoas de seu convívio. Em seguida, pergunte quem gostaria de contar o que descobriu e problematize a questão para encorajar as crianças a falarem. Se for o caso, peça que ela vá até a lousa. Nesse caso, o aluno traz a situação ou o professor a propõe para incentivá-lo a compartilhar suas descobertas. Se ele consegue reproduzir uma estratégia utilizada por terceiros, significa que já está com a habilidade bem desenvolvida. 

2. Crie uma situação-problema: Proponha que os alunos resolvam individualmente com base em duas estratégias diferentes. Ao receber a atividade, o professor terá muitos elementos para trabalhar.

3. Selecione algumas das estratégias dos alunos: Identifique alguns alunos que adotaram estratégias interessantes para compor um painel de soluções (saiba mais neste link). Neste painel, cada aluno vai para a lousa escrever e explicar como foi que resolveu o problema proposto anteriormente. Nesta hora, um fator importante entra em cena: a avaliação como momento de aprendizagem.

4. Divida a turma em grupos: Com um panorama de como os alunos estão desenvolvendo o conteúdo, separe a turma em grupos de acordo com o que foi observado e com o que eles precisam aprender. O intuito nessa etapa é pensar em ações para não deixar ninguém para trás e já traçar os próximos passos. 

Para saber mais:

Avaliação Mediadora, de Jussara Hoffmann. Editora Mediação (2009).
Avaliação: Da excelência à regulação das aprendizagens, de Philippe Perrenoud. Editora Artmed (1999). Sugestão de leitura:Capítulo 9 - Não mexa na minha avaliação! Uma abordagem sistêmica da mudança.
A Prática Educativa, de Antoni Zabala. Editora Artes Médicas (1998). Sugestão de leitura: Capítulo 8 - A avaliação.
Mentalidades Matemáticas, de Jo Boaler. Editora Penso (2017). Sugestão de leitura:Capítulo 8 - Avaliação para uma mentalidade de crescimento.

Mais sobre esse tema

Caixa abrindo

Ideias para se inspirar,
conteúdo para ensinar

  • Expriıências reais de sala de aula;
  • Conteúdos alinhados à BNCC;
  • Metodologias ativas;
  • Textos, vídeos, materiais pedagógicos e moldes;
  • Ideias e relatos de professores como você!
assine por R$19,90