SUGESTÃO DE ATIVIDADE

Fichas impressas e materiais caseiros: como Andrea trabalha Matemática com a turma a distância

Diante da dificuldade de alguns alunos de 2º ano em contar até 100 e realizar operações básicas, a professora inclui atividades lúdicas no kit da EE Doutor Pompílio Guimarães

A biblioteca da EE Doutor Pompílio Guimarães, em Leopoldina (MG). Foto: Rodrigo Ferreira/NOVA ESCOLA

No ano passado, a professora do Ensino Fundamental 1 Andrea Machareth, em uma aula de Matemática para o 2º ano, percebeu a dificuldade dos alunos com as sequências numéricas. “Em sua maioria, eles desconheciam os números e as quantidades”, explica.

Para auxiliar a classe a superar essa dificuldade, Andreia montou alguns tipos de jogos, com fichas de papel-cartão numeradas. Pedia que a cada número os alunos fizessem um desenho, ilustrando a quantidade que aparecia como referência. No passo seguinte, a tarefa proposta foi escrever por extenso os números. “Aos poucos fui introduzindo os conceitos de antecessor e sucessor”, diz a professora. 

Neste ano ano, a classe do 2º ano continua apresentando dificuldades parecidas com as da turma anterior, com o agravante das aulas a distância. “Isso aumentou ainda mais a minha angústia, especialmente em relação aos que apresentam mais dificuldades”, explica.

Para superar o desafio, Andrea continua investindo nos jogos. Todo mês manda aos alunos atividades lúdicas, para que possam compreender o sentido da numeração. Em cada atividade são colocadas instruções para a realização da tarefa. 

Confira um passo a passo de como a professora tem realizado essa atividade a distância por meio dos kits distribuídos pela EE Doutor Pompílio Guimarães. 

ATIVIDADE: MATEMÁTICA OFF-LINE PARA O 2º ANO

Com fichas numeradas impressas e materiais caseiros, Andrea tem trabalhado sequências numéricas e operações básicas com os alunos


Indicado para: Turmas de 1º ou 2º ano (a depender do nível de domínio sobre Matemática)

Materiais: Materiais caseiros, tais como gravetos, pedrinhas, folhagens, galhos, tampinhas de garrafa, palitos de fósforo e de picolé para as operações básicas; cartolina ou papel-cartão para as fichas numéricas (se desejar, NOVA ESCOLA preparou um modelo pronto para você baixar e imprimir ou pedir que os estudantes imprimam - é só clicar no botão abaixo).

BAIXE O ARQUIVO

Na BNCC: EF01MA04, EF02MA02 e EF02MA06


PASSO A PASSO

1. Avalie o estágio da turma: Reveja os registros sobre em qual ponto da aprendizagem cada aluno está. A turma de 2º ano da professora Andrea é bastante heterogênea: enquanto há alunos que têm algum domínio de sequências numéricas, outros têm grande dificuldade com noções básicas de Matemática, especialmente os que pularam a etapa da Educação Infantil.

2. Prepare fichas para estimular o aprendizado de sequências: Imprima fichas numeradas para os alunos e elabore exercícios para que montem sequências numéricas com elas em casa. O objetivo é que eles saibam ordená-las até 100, ou ao menos 50. “Gosto muito de introduzir conteúdos usando material concreto”, explica Andrea. “Acho muito importante que eles manipulem primeiramente esse material, para depois trabalhar no dia a dia com atividades diversificadas.”

PONTO DE ATENÇÃO: A contagem de objetos de coleções de até cem unidades é prevista pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para o 1º ano do Ensino Fundamental (EF01MA04). Por isso, é importante avaliar qual o domínio dos alunos de 2º ano sobre a habilidade.

3. Recomende materiais caseiros para operações básicas: Para as contas de adição e subtração, sugira aos alunos que usem gravetos, pedrinhas, folhagens, galhos, tampinhas de garrafa, palitos de fósforo e de picolé para resolver os problemas matemáticos. “Quem consegue, registra em foto a operação e envia no grupo do WhatsApp para eu avaliar”, diz a professora Andrea. Como nem todos têm acesso a celular, é possível também contar com a devolutiva dos alunos por escrito.

4. Avaliação diagnóstica no retorno: Avalie se as atividades a distância cumpriram seu papel no retorno às aulas presenciais. Andrea, por exemplo, sente que os alunos têm avançado com certa dificuldade. Ela os avalia com base no material devolvido. Tem repetido alguns exercícios a cada mês, a fim de que o conteúdo fique bem consolidado. A maioria retorna as atividades, mas muitos têm dúvidas e nem sempre acertam as respostas. Como solução, ela propõe, no retorno, aulas de reforço focadas nesses conteúdos.

Mais sobre esse tema

Caixa abrindo

Ideias para se inspirar,
conteúdo para ensinar

  • Expriıências reais de sala de aula;
  • Conteúdos alinhados à BNCC;
  • Metodologias ativas;
  • Textos, vídeos, materiais pedagógicos e moldes;
  • Ideias e relatos de professores como você!
assine por R$19,90