Para usar com os alunos

Um passo a passo para entender o isolamento social nos gráficos

Confira uma sugestão de atividade para ajudar os os alunos a interpretar informações da mídia e desenvolver seu próprio gráfico sobre a covid-19

Por Miguel Martins

Oriente os alunos a criarem seu próprio gráfico. Micro One/Deposit Photos/Caronte Design

Por meio da televisão, celulares e outros meios, milhares de informações sobre a covid-19 têm sido divulgadas, como gráficos, números e dados. No entanto, é necessário prestar bastante atenção na forma como os dados são apresentados para não cometer erros. Esta atividade proposta pelo professor de Matemática Cicero Inacio dos Santos, integrante do Time de Autores de NOVA ESCOLA, propõe uma discussão sobre gráficos que podem induzir a interpretações equivocadas sobre o coronavírus e estimula o estudante a apresentar os dados de forma confiável. 

Indicado para: Turmas de 8º e 9º anos

Habilidades da BNCC: (EF08MA23) Avaliar a adequação de diferentes tipos de gráficos para representar um conjunto de dados de uma pesquisa; (EF09MA21) Analisar e identificar, em gráficos divulgados pela mídia, os elementos que podem induzir, às vezes propositadamente, erros de leitura, como escalas inapropriadas, legendas não explicitadas corretamente, omissão de informações importantes (fontes e datas), entre outros; (EF09MA22) Escolher e construir o gráfico mais adequado (colunas, setores, linhas), com ou sem uso de planilhas eletrônicas, para apresentar um determinado conjunto de dados, destacando aspectos como as medidas de tendência. 

Espaço: on-line

Materiais: conexão à internet, reportagens sobre coronavírus e software Excel (também pode ser utizada a opção do Google Planilhas, gratuita)

PASSO A PASSO

1. Pergunte aos alunos onde eles costumam buscar informações sobre o coronavírus. O objetivo dessa atividade é discutir com os estudantes sobre os meios de acesso à informação e se eles são confiáveis. Pergunte qual jornal eles costumam assistir e ler ou se só acessam as informações a partir de redes sociais ou WhatsApp. Se a aula for ao vivo, utilize slides e um bate-papo com os estudantes ou grave um vídeo e envie por uma plataforma que você utilize. Pergunte aos alunos se eles sabem o que é novo coronavírus, se conhecem sua origem e a forma como ocorre o contágio. As respostas podem ser devolvidas por vídeo, áudio ou texto. 

2. Compartilhe um vídeo com informações sobre o coronavírus. Em seguida, compartilhe o vídeo realizado pela BBC News Brasil (acesse aqui), retratando o que é o COVID-19 e seus sintomas. Discuta com os estudantes sobre o conteúdo do vídeo, comparando as informações dadas pelos estudantes com aquelas disponíveis no vídeo. 

3. Sugira a análise de gráficos da mídia. Peça que os estudantes leiam a notícia dada pelo portal UOL no fim de março sobre os casos de coronavírus no país (acesse aqui). Sugira aos alunos analisarem os dois gráficos que estão contidos no texto, anotando o que eles representam, que tipo de gráfico são esses, se eles estão bem elaborados e se a escala está correta. 

Em seguida, peça que analisem uma notícia divulgada no início de abril pelo site “Estado de Minas” (acesse aqui), em que também há um gráfico sobre a evolução da covid-19 Brasil, mas com escala diferente: a escala logarítmica.  

Na sequência, peça para os estudantes discutirem e compararem os dois tipos de gráficos. É importante que eles compreendam que, no primeiro, de escala linear, o crescimento de casos parece seguir uma trajetória sem qualquer desaceleração. Já o segundo, de escala logaritímica (multiplicação dos casos por potências de 10), mostra que o crescimento desacelerou após a adoção de medidas de distanciamento social. Discuta com os alunos os possíveis motivos do uso do gráfico em escalas diferentes. 

4.Oriente os estudantes a criarem seu próprio gráfico.  Sugira que os alunos pesquisem a quantidade de casos de pessoas infectadas e os óbitos por covid-19 na cidade onde moram (veja possíveis plataforma de pesquisa aqui) e montem uma tabela contendo essas informações. Separe, por exemplo, um período de 10 dias ou um mês, e em seguida solicite que eles façam um gráfico usando a ferramenta disponível no Excel ou no Google Planilhas (na aba “inserir”, é possível criar vários gráficos a partir dos dados disponíveis na planilha). Nesse momento, é importante discutir com eles qual é o gráfico mais adequado para o tipo de informação. São esperados ou gráficos de barras, que dão uma ideia da densidade do número de casos diários, ou de linha, que mostra a trajetória de crescimento da doença.  

5. Hora de divulgar os gráficos. Peça para que os estudantes façam um texto analisando o gráfico que produziram. Oriente para que eles compartilhem tanto o texto como o gráfico com os colegas da escola e com a comunidade escolar.

6. Sistematização: Realize uma discussão, que pode ser ao vivo ou em um grupo de WhatsApp, sobre as principais aprendizagens relacionadas à atividade, além de abrir espaço para os estudantes apontarem os aspectos positivos e aquele que podem ser melhorados, bem como seus sentimentos em relação aos riscos relacionados à covid-19. 

Ideias para inspirar, conteúdo para ensinar

Quer ler esse conteúdo? Assine o Nova Escola Box

O Nova Escola Box é um produto digital que auxilia o educador a preparar a sua aula com dicas práticas, materiais de apoio para a sala de aula e textos de formação para os professores da Educação Infantil e do Ensino Fundamental. Toda semana, o assinante recebe uma caixa digital de conteúdo nova e surpreendente.

Já é assinante Nova Escola Box? Faça login aqui!