MATEMÁTICA

Variação de grandezas e funções: sugestões para Matemática no 8º e 9º ano

Com base na BNCC, conheça aprendizagens consideradas inegociáveis para a progressão no componente curricular e caminhos possíveis para elaborar atividades que ajudem no desenvolvimento delas

Ilustração abstrata de professor em frente a gráficos flutuando.
Ilustração: Yasmin Dias/NOVA ESCOLA

Os últimos anos do Ensino Fundamental 2 são de grande importância para a continuidade dos estudos no Ensino Médio, mas com poucos meses até o fim do ano, pode ser necessário privilegiar as habilidades que garantem a progressão das aprendizagens dos estudantes e que exigem por parte deles a mobilização de vários recursos ao mesmo tempo.

Para apoiar os educadores nessa tarefa, selecionamos uma habilidade focal por ano, com caminhos possíveis para elaborar atividades que ajudem no desenvolvimento dela. A tabela Habilidades prioritárias de Matemática - 6º ao 9º ano, desenvolvida por NOVA ESCOLA, traz as demais habilidades que podem ser priorizadas.

Em relação ao 9º ano, especificamente, Fernando Barnabé, do Time de Autores de NOVA ESCOLA e diretor da rede Trilhas do Saber e da Edu.co Ensino Consultoria, recomenda não priorizar o trabalho com a fórmula de Bhaskara, porque isso será desenvolvido no Ensino Médio. "O 9º ano é um momento de transição muito único e deve ser aproveitado, porque o estudante tem a oportunidade de criar estratégias diferentes para resolver as atividades que não envolvem a memorização da fórmula", explica.

Outro ponto de atenção com essas turmas é justamente a passagem para a próxima etapa de ensino, momento em que ocorrem muitas evasões da escola. "Para motivar os alunos a seguirem estudando, converse com eles sobre o Novo Ensino Médio, que representa uma transformação profunda em relação ao que estão habituados. As propostas são inovadoras, com trabalhos interdisciplinares e muita coisa diferente para eles experimentarem", diz Fernando. Confira as habilidades selecionadas pelo especialista para o 8º e o 9º ano: 

divisóriaVariação de grandezas


Habilidade da BNCC: 

EF08MA12 - Identificar a natureza da variação de duas grandezas, diretamente, inversamente proporcionais ou não proporcionais, expressando a relação existente por meio de sentença algébrica e representá-la no plano cartesiano.

Por que essa habilidade é prioritária?

Além de escrever uma sentença algébrica, os estudantes são desafiados a representá-la em um plano cartesiano, o que torna a atividade completa, por envolver a parte numérica, a representação na linguagem algébrica e a representação geométrica disso.

Como trabalhar com os alunos em sala:

Convide os estudantes a refletirem sobre o que ao redor deles funciona a partir de uma sentença matemática. Uma viagem por aplicativo de transporte, por exemplo, pode render discussões sobre como o pagamento é calculado e o que pode acontecer quando as variáveis que influenciam nesse valor são alteradas. Para a representação no plano cartesiano, o aplicativo GeoGebra pode ajudar. 

Como trabalhar com os alunos em casa:

Uma maneira divertida de trabalhar as proporções é por meio de receitas. Convide os estudantes a pedirem uma receita para alguém da família e cozinhar o alimento alterando a proporção indicada.

divisóriaRepresentações de funções


Habilidade da BNCC: 

EF09MA06 - Compreender as funções como relações de dependência unívoca entre duas variáveis e suas representações numérica, algébrica e gráfica e utilizar esse conceito para analisar situações que envolvam relações funcionais entre duas variáveis.

Por que essa habilidade é prioritária? 

Entender o conceito de função e saber como representá-la é uma habilidade que será necessária para a área da Matemática até o fim do Ensino Médio e, inclusive, para outras áreas, como Física, Química e Biologia.

Como trabalhar com os alunos em sala:

Relacionar a habilidade matemática à área de Física, por exemplo, medindo velocidades constantes, é um caminho para tornar a aprendizagem mais concreta. Há um experimento que pode ajudar nisso: em um recipiente com óleo caseiro, faça duas marcações na vasilha. Uma representa a partida e a outra, a chegada. Depois, pingue uma gota de água sobre o óleo e meça o tempo que ela leva para chegar de um ponto a outro. A partir disso, os estudantes podem descobrir a velocidade da gota. Dica: filmar o experimento pode auxiliar a medir o tempo.

Como trabalhar com os alunos em casa:

Proponha que os estudantes desenvolvam o mesmo experimento em casa. Eles também podem testar o que acontece com outros tamanhos de gota d'água, com outros líquidos e até sólidos, registrando os achados e as hipóteses que formulam para explicar os diferentes comportamentos.

divisória

Mais sobre esse tema

Caixa abrindo

Ideias para se inspirar,
conteúdo para ensinar

  • Expriıências reais de sala de aula;
  • Conteúdos alinhados à BNCC;
  • Metodologias ativas;
  • Textos, vídeos, materiais pedagógicos e moldes;
  • Ideias e relatos de professores como você!
assine por R$19,90