Apoio:

Para usar com os alunos

Como usar os planos de aula no formato de ensino híbrido

Confira as orientações para adaptar os materiais preparados por NOVA ESCOLA

No modelo híbrido, as propostas devem combinar atividades presenciais e on-line. Com as turmas dos anos iniciais do Fundamental, a parceria com as famílias é essencial. Estúdio Kiwi/ NOVA ESCOLA

O retorno gradual das aulas presenciais exigirá, novamente, que os educadores se reinventem para se adequar às propostas de revezamento de alunos, manutenção do distanciamento e outras condutas que buscam a segurança do ambiente escolar para todos os que ali estão. “Devemos pensar em estratégias que alcancem os dois ambientes, o remoto e o presencial, escolhendo aquela que mais se adapta a cada situação”, diz a professora de Ciências e pedagoga Cintia Diógenes, especialista dos Planos de Aula de NOVA ESCOLA

O ensino híbrido encaixa-se nesse sistema de rodízio dos estudantes. “Porém, mais do que resolver os problemas pós-pandemia, essa metodologia precisa ser pensada de maneira que as propostas estimulem a prática do aprender a aprender, em que os alunos resolvem situações-problema, colocando a mão na massa”, explica Cintia. As atividades devem envolver e motivar crianças e jovens, permitindo que eles sejam os protagonistas do processo de ensino e aprendizagem. 

E como colocar isso no planejamento? Os planos de aula de NOVA ESCOLA podem ser aliados. Hoje você os encontra em duas versões: a original (eles foram elaborados com o objetivo de incorporar diversas linguagens, mas, ainda assim, preparados no contexto anterior ao do isolamento físico) e a adaptada ao ensino remoto. A retomada gradual das aulas presenciais vai exigir um raciocínio que combine as duas versões. 

De modo geral, os planos estão divididos em quatro momentos distintos. A seguir, Cintia apresenta sugestões para você, professor, refletir na hora de adaptá-los para o sistema híbrido.

1 - O embasamento do tema 

À distância, o professor pode encaminhar as propostas de forma assíncrona (por e-mail, mensagem de WhatsApp ou publicadas em um ambiente virtual de aprendizagem, como o Google Classroom). Esse material deve contribuir para que os estudantes fiquem interessados e se engajem na tarefa. Alguns exemplos de recursos que podem ser utilizados nesse momento são: vídeos, podcasts e textos informativos etc.

2 - Desenvolvimento das propostas 

À medida que os alunos vão se aprofundando no contexto da temática da aula, pode-se continuar propondo atividades para que eles realizem remotamente. Ou eles podem começar o desenvolvimento da atividade a distância e finalizá-lo presencialmente. A decisão deve considerar como aproveitar melhor o potencial dos dois ambientes: os recursos multimídia e a capacidade de armazenamento de dados do digital e as trocas interpessoais e a possibilidade de intervenção pedagógica imediata dos encontros presenciais. 

Ao avaliar o plano de aula, considere realizar presencialmente todas as partes que envolvam desenvolvimento de debates, produção de protótipos, cartazes, júris simulados e experimentos, ou qualquer outra estratégia em que o docente precise mediar mais atentamente, observando a construção de algo ou que a interação seja importante para que o objetivo da atividade seja alcançado.

No remoto, as ferramentas Paint, Paint 3D e PowerPoint são acessíveis e facilitam registros como o projeto de um protótipo para a resolução da situação-problema. Por meio do Google Drive, os alunos podem produzir textos colaborativamente e o professor acompanha em tempo real a produção, realizando intervenções por meio de comentários ou do chat. E, se for necessária a interação, dá para propor debates on-line por meio de videochamadas, utilizando o Hangouts ou o Zoom. Neste último, há a opção de subdividir o grupo em salas, para realizar intervenções específicas. Outra opção é transformar a atividade em jogo.

3 - As sugestões de sistematização 

A sistematização das aulas pode ocorrer tanto presencial quanto remotamente, mas sem perder a ideia de que o educador deve continuar atuando como mediador do processo, organizando discussões sobre a atividade e propondo uma conclusão conjunta que consolida os conteúdos explorados. Mesmo no modelo remoto, a turma deve discutir, elaborar conceitos baseados no que vivenciaram durante a proposta de aula e se autoavaliarem acerca da construção desses novos conhecimentos e da colaboração com os demais colegas.

4 - As indicações de avaliação 

Um ponto a ser ressaltado é a importância de manter, mesmo no ensino remoto, as indicações presentes nos planos referentes à avaliação da aprendizagem. Em geral, os planos preveem avaliação processual em todas as etapas da aula. Como sugestão para o sistema híbrido, vale pensar em propor a criação de rúbricas de autoavaliação para que os estudantes possam falar sobre a própria aprendizagem e seu envolvimento nas tarefas. 

Exercício prático de adaptação de um plano de aula 

Para exemplificar, confira a proposta elaborada com o auxílio da professora Helena Cristina da Cruz Ruiz. Ela escolheu um plano de aula de Língua Portuguesa sobre escrita espontânea. Aqui você encontra a versão original. Leia, a seguir, o passo a passo da adaptação para o modelo de ensino híbrido.

Objetivo: Identificar grafias/letras que alunos usam para representar fonemas

A quem se destina: 1º ano do Ensino Fundamental

Recursos indicados: Canal de comunicação on-line (como WhatsApp ou e-mail). Alfabeto móvel (sugestão de alfabeto para ser impresso e utilizado com os alunos no presencial) Clique aqui 

Passo a passo

Explique a atividade para a turma

Convide as crianças a fazerem a escrita de uma lista. Com os alunos que estão na escola, isto pode ser feito oralmente. Para o grupo que está em casa, envie as informações por áudio (WhatsApp). Em seguida, questione e apresente as características das histórias em quadrinhos e os personagens da Turma da Mônica, como indicado na primeira orientação do slide Introdução do Plano de Aula (veja aqui).

Organize a turma em grupos com até 3 alunos

Para os que estão de casa, isso pode ser feito no próprio WhatsApp. Uma sugestão para organizar os grupos é:

1 aluno na hipótese pré-silábica com 2 silábicos sem valor sonoro;

1 ou 2 Silábicos sem valor sonoro com 2 ou 1 Silábico com valor sonoro;

3 Silábicos com valor sonoro, alternando aqueles que utilizam apenas vogais com os que utilizam apenas consoantes ou consoantes e vogais;

Há outras maneiras de fazer o agrupamento, que podem ser consultadas aqui.

Siga as orientações nº 3, 4 e 5 do slide Desenvolvimento (veja aqui). Em sala de aula e em cada grupo do whatsApp, o professor promoverá perguntas sobre os personagens e, em seguida, os convidará para escrever seus nomes. Com a turma presencial, utilize o alfabeto móvel. Para os alunos conectados, peça que escrevam no caderno ou em uma folha e fotografem o resultado. 

Confira a leitura do que foi escrito. Em sala, peça para que os alunos leiam em voz alta o que escreveram. No caso de quem está em casa, será necessário solicitar que alguém da família filme esse momento e envie o vídeo para você avaliar.


O Nova Escola Box tem conteúdos exclusivos para você planejar as suas aulas. Conheça nossos planos de assinatura :)

Quero Assinar!

Mais sobre esse tema

Caixa abrindo

Ideias para se inspirar,
conteúdo para ensinar

  • Expriıências reais de sala de aula;
  • Conteúdos alinhados à BNCC;
  • Metodologias ativas;
  • Textos, vídeos, materiais pedagógicos e moldes;
  • Ideias e relatos de professores como você!
assine por R$19,90